Ads


Projeto ''Eu posso te ouvir'' trabalha em escolas municipais a prevenção à violência autoprovocada e ao suicídio

O Programa Saúde na Escola (PSE) realiza diversas ações em 54 escolas municipais, beneficiando mais de 34 mil alunos. Uma das atividades desenvolvidas, de forma intersetorial e momentaneamente em quatro unidades escolares, é o projeto “Eu posso te ouvir”, que trabalha a prevenção à violência autoprovocada e ao suicídio, intensificadas no Setembro Amarelo.
“O projeto proporciona na escola espaços de escuta acolhedora para que os estudantes possam falar sobre seus sentimentos e emoções, além de proporcionar o diálogo com as famílias, educação permanente com profissionais e encaminhamento para o atendimento na rede de saúde”, explica Rogeriany Farias, gerente do PSE.
As ações do “Eu posso te ouvir” têm ampliado a visão da Saúde e da Educação para o cuidado com as crianças e adolescentes em relação ao sofrimento mental. O objetivo é reduzir os índices de automutilação e tentativas de suicídio, promovendo uma cultura voltada para a paz, para o respeito e para o diálogo.
“O PSE tem como objetivo contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino”, pontuou Gerardo Cristino, secretário da Saúde.
Eu posso te ouvir
O projeto é desenvolvido na escola Netinha Castelo desde 2017 e hoje está sendo implementado nas escolas Maria José dos Santos, Raul Monte e Maria Dias Ibiapina. Ele é conduzido por profissionais do PSE, dos Centros de Saúde da Família (CSF), da Educação, da Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Saúde Mental, do Núcleo Ampliado em Saúde da Família (NASF) e dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

Nenhum comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.