Ads


Papa Francisco altera regra da Igreja para permitir mulheres no rito de lava-pés

O papa Francisco alterou ontem, 21, séculos de tradição que bania mulheres do rito de lava-pés durante a Quaresma, contrariando setores conservadores da Igreja. Até então, somente homens eram formalmente autorizados a participar do rito no qual pés de 12 pessoas são lavados e beijados em comemoração ao gesto de humildade de Jesus ante os apóstolos na noite anterior a sua crucificação. 

Em carta ao departamento que regula ritos de adoração do Vaticano, o papa disse que o grupo deve ser composto por “todos os membros do povo de Deus”, incluindo mulheres, “jovens e velhos, saudáveis e doentes, clérigos e leigos”. A cerimônia acontece na quinta-feira santa, antes do domingo de páscoa. A mudança ocorre, segundo Francisco, para “expressar integralmente o significado do gesto de Jesus em sua caridade infindável”. 

“Isso é uma ótima notícia, um incrível passo a frente”, disse a diretora da Conferência para Ordenação Feminina, Erin Hanna, organização sediada nos Estados Unidos que promove o sacerdócio de mulheres. 

Desde 2013, o papa tem incluído mulheres quando ele preside o rito de lava-pés, dando continuidade a uma prática iniciada quando ele era bispo de Buenos Aires. Lá, as cerimônias aconteciam em um asilo e contavam também com muçulmanos quando ele realizou o rito de prisões italianas, contrariando conservadores. “Eu sinto pena de padres que têm tentado seguir a liturgia nesse assunto. Eles podem se sentir traídos”, disse Joseph Shaw, diretor de um grupo de conservadores chamado The Latin Mass Society.

Nenhum comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.