Ads


Prazo para quitação de dívidas de agricultores não é suficiente devido a efeitos do 4º ano de seca

Não deve ser suficiente o prazo limite de 30 de dezembro para assentados e beneficiários do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) negociarem os empréstimos juntos a instituições financeiras. Segundo o secretário de política agrícola da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Ceará (Fetraece), José Francisco de Almeida Carneiro, já foi solicitado ao Governo Federal que amplie o prazo de negociação ou perdoe dívidas.

“Com certeza, o governo vai ter que criar uma saída, quer seja pelo perdão da dívida, quer seja pelo alongamento dos prazos com um rebate ainda maior, porque nós não podemos condenar os agricultores a não poder mais acessar o crédito”.

O prazo, que estava encerrado desde 30 de junho, foi reaberto até o fim do ano, mas a situação dos agricultores é complicada devido aos efeitos do 4º ano seguido de seca, mesmo em condição de negociação, que oferece até 70% de desconto em dívidas em atraso. Quem não fizer a negociação ficará na condição de inadimplente e não vai poder fazer nova contratação.

O Pronaf tem por objetivo aumentar a renda do agricultor familiar e integrá-lo à cadeia do agronegócio. Atualmente no Estado existem mais de 200 mil contratações. A inadimplência afeta mais as regiões do Vale do Jaguaribe e Norte do Estado.​
(Tribuna BandNews FM)

Nenhum comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.